Em noite de Guerrero e Diego, Flamengo goleia a Chape

Até a metade do segundo tempo, pareceria um devaneio imaginar que terminaria em goleada a noite da Ilha do Governador. Possivelmente, muitos dos rubro-negros presentes à Ilha do Urubu tinham, àquela altura, o olhar dividido entre o relógio e o campo. Não que o Flamengo levasse um sufoco, até porque a Chapecoense abusava da pobre tática de arremessar para a área, de qualquer lugar do campo, todo arremesso lateral a seu favor. Mas o placar de 2 a 1 era incômodo. Até que três gols em seis minutos construíram o 5 a 1.

O Flamengo não foi sempre espetacular como o placar insinua. Mas o grande legado do jogo é individual. Recuperado de lesão, Diego teve uma progressão gradual em seu rendimento desde a volta. Ontem, apresentou-se em seu melhor nível, com dois gols de categoria e participação em outro. Já Guerrero, que não marcara até aqui no campeonato, via a pressão sobre o time rondar também o seu nome. Seus três gols representam um aproveitamento de finalizações superior ao seu habitual. No entanto, a participação nos outros dois gols, fazendo com que marcasse presença nos cinco que o Flamengo fez, provam um repertório à altura de sua importância para o time.

Categoria:Esporte

Deixe seu Comentário